terça-feira, 31 de janeiro de 2012

"Três": Cena de romance que homenageia clássico de Polanski sobre perversão e paixão

“Sabia que estava ultrapassando o limite alcoólico que impunha a si mesmo, mas ainda assim pediu mais bebida. Neste momento, uma música romântica, ainda que em batida tecno, tomou conta do lugar, fazendo com que o ritmo da dança se tornasse mais lento. Observou Fernanda colocar as mãos nos quadris de Vanessa, e esta passar os braços no pescoço da outra. Moviam-se com simetria, como se tivessem ensaiado cada passo. Dançavam olhando nos olhos uma da outra, deixando evidente o que estava para acontecer.
George não soube precisar o que sentiu ao ver Vanessa e Fernanda envoltas em um beijo ardente, mas ao mesmo tempo afetuoso, talvez apaixonado. Instintivamente, olhou para os lados, percebeu que absolutamente ninguém olhava para ele ou para elas. Na verdade, elas não passavam de mais um casal abraçado. Contido o temor de chamar a atenção, cuidou de observar a cena. Elas haviam afastado os rostos e voltado a se beijar, desta feita com mais suavidade que antes. George evocou na memória o beijo entre Emanuelle Seigner e Kristin Scott-Thomas em Lua de Fel, mas não conseguiu recordar ao certo de como o personagem de Hugh Grant se sentiu ao presenciar a cena...”


Trecho do capítulo 13 do romance “Três”, de minha autoria (editado pela Livro Rápido, Olinda – PE, em 2004, numa tiragem limitada), que deverá ser reeditado no 2º semestre deste ano. Segue abaixo a citada cena da subestimada obra prima de Roman Polanski sobre paixão, relacionamento e perversão. Um filme obrigatório para qualquer cinéfilo.



2 comentários:

  1. Respostas
    1. Assim que sair esta segunda edição, amigo, o livro estará em suas mãos. Abração.

      Excluir